A alimentação dos bebés é fundamental para que se desenvolvam da melhor forma possível. Por isso, devemos fazer tudo ao nosso alcance para que os nossos bebés não tenham nenhum tipo de problema durante o seu crescimento.

No entanto, face a este exaustivo controlo que tentamos ter, temos que entender que nem sempre depende diretamente de nós. Há acontecimentos mais do que normais, e também bastante aborrecidos, que acontecem em muitos bebés como parte do seu desenvolvimento. Mas isto não quer dizer que não possamos ajudar a evitá-los!

Um exemplo perfeito são as cólicas do lactente, que afetam, aproximadamente, 20% dos bebés. Estas consistem em episódios de choro depois de cada toma, mesmo que sejam saudáveis. Aparecem, normalmente, uma semana depois do bebé nascer e podem permanecer até aos três primeiros meses. Depois desaparecem de forma natural.

Em geral, estas cólicas manifestam-se ao terminar cada toma, especialmente durante a tarde ou a noite, e podem durar mais de duas horas!

Quais são os sintomas destas cólicas?

Cada bebé é um mundo e pode ter diferentes sintomas, mas há uma série de indícios que nos podem fazer ver que está a sofrer de cólicas. A seguir, mostramos-lhe os mais evidentes

  • O bebé chora com bastante frequência e durante bastante tempo, depois de cada toma. Trata-se, de um choro forte, insistente e, até, irritante. Devemos ter paciência!
  • O bebé tem dificuldade em adormecer e a isso, devemos ainda acrescentar que o seu sono não é demasiado profundo, pelo que desperta com bastante facilidade.
  • O ventre do bebé está duro devido, possivelmente, à sua dificuldade de eliminar os gases e expulsar as fezes, e apesar disso, não tem diarreia.
  • O bebé age de forma irritada e as técnicas que utilizamos em outros momentos para o tranquilizar não funcionam e não acalmam o seu choro.
  • Ao choro, juntam-se outras manifestações como o fecho dos punhos, o encolher das pernas e o rubor da sua cara, que demostram os seus nervos.

Todos estes sinais podem aparecer de forma repentina e, como já mencionámos, normalmente aparecem com a chegada da tarde, aproximadamente, desde as seis até ao final do dia.

Quais são as causas destas cólicas?

Antes de mais, devemos ter em conta que as causas destas cólicas podem ser variadas, e nem sempre são resultado de uma só. Pode ser a combinação de várias causas que dê lugar ao choro do bebé. Estas causas são as seguintes:

  • Regime de alimentação. É mais frequente as cólicas afetarem bebés que se alimentam de biberão em vez do peito. A que se deve isto normalmente? O bebé que é amamentado, mama sempre que pede. Porém, o bebé que se alimenta com biberão, costuma fazê-lo com horários e quantidades que nós mesmo estabelecemos. Isto pode fazer com que o bebé coma com ansiedade, o que dá lugar a que crie gases e, portanto, que lhe doa o estômago. Isto faz com que na próxima toma, ele não comerá bem, terá ansiedade e acumulará ainda mais gases.
  • Alteração da flora intestinal. É possível que o bebé tenha no seu organismo micróbios que produzam uma fermentação com mais gases do que o normal.
  • Intolerância às proteínas do leite de vaca ou intolerância à lactose. Normalmente, tratam-se de bebés que bebem leite de fórmula ou cujas mães bebem leite e, através do peito, lhes transmitam estas proteínas.
  • Prisão de Ventre.
  • Refluxo gastroesofágico. Trata-se de bebés que produzem bastante ácido no estômago. Ao contrário de outros bebés, não se encolhem quando sofrem as cólicas, mas esticam-se, porque ao encolherem-se provocam a “subida” da comida e arde-lhes.

O que podemos fazer para prevenir estas cólicas?

Ter uma dieta equilibrada

Através do leite materno, podemos transmitir aos bebés, sustâncias que causem estas cólicas. Por este motivo, devemos ter especial cuidado com o tipo de alimentos que incluímos na nossa dieta. É bom eliminar a teína e a cafeína, assim como evitar o consumo de álcool, bebidas energética e medicamentos que não tenham sido expressamente receitados pelo nosso médico durante a amamentação.

Para além disso, recomenda-se a toma de uma infusão de funcho, erva-doce e anis depois de cada toma. Estas serão transmitidas ao seu bebé através do leite e ajudarão a evitar as cólicas.

Dar o peito da forma correta

É importante dar bem o peito para evitar que o bebé fique com gases e apareçam as cólicas. Para isso, devemos ter em conta que nunca devemos mudar de peito pouco tempo depois de começar a toma. Devemos sempre assegurarmo-nos de que o primeiro peito se esvazia, e que se o bebé não ficar satisfeito, podemos oferecer-lhe o outro. Um conselho a seguir: na toma seguinte, comecemos com o outro peito.

Dar o biberão de forma adequada

Se, por diversos motivos, alimentamos o nosso bebé com um biberão e não diretamente ao peito, devemos ter em conta uma serie de conselhos a fim de evitar que o bebé sofra cólicas:

  • O tamanho do furo da tetina deve ser o adequado. Se o furo for demasiado pequeno, o bebé pode-se cansar e deixar a toma antes de estar satisfeito, pelo que é muito possível que comece a chorar pouco tempo depois de acabar. Se, pelo contrário, o furo é demasiado grande, o bebé tomará o leite demasiado rápido, pelo que engolirá ar durante a toma. Uma boa forma de evitar esta última situação é utilizar biberões com sistema de ventilação completa, que reduzem o risco de sofrer cólicas e gases.
  • A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que o bebé se alimente exclusivamente de leite materno durante os seis primeiros meses. No entanto, se não for possível por diversas razões, devemos certificarmo-nos que escolhemos um leite de fórmula adequado ao nosso bebé, já que, se esta não é a ideal, pode causar prisão de ventre e gases.

Alimentar o bebé na posição ideal

Alimentemos o nosso bebé com o peito ou com um biberão, devemos certificarmo-nos de que, durante a toma, este esteja erguido e não recostado, já que esta última posição beneficia a acumulação de gases no organismo. Mesmo assim, é bom que tentemos que o bebé arrote logo após cada toma.

Se aparecem as cólicas, o que podemos fazer para as aliviar?

No caso de não podermos evitar o aparecimento das cólicas, podemos seguir os seguintes conselhos para reduzi-las e assim ajudar o nosso bebé:

  • As massagens são boas para reduzir as cólicas. Para isso, podemos pressionar o abdómen do nosso bebé com movimentos circulares. Também podemos realizar esta massagem nas suas costas, colocando o bebé de boca para baixo com a ajuda dos nossos braços.
  • Escutar música é uma boa forma de relaxar o bebé se este não deixar de chorar. Estará entretido e, com isso, conseguirá acalmar-se.
  • Como já temos comentado, nas tomas, o bebé deve estar erguido. Esta mesma posição vertical pode servir-nos de ajuda para eliminar a acidez e expulsar os gases.
  • Outra opção é utilizar uma chupeta, já que, para muitos bebés, é uma forma de acalmar os nervos, especialmente se está a sofrer de cólicas.
  • Há medicamentos que podem ajudar a acalmar as cólicas do bebé. Mas, devemos sempre levá-lo à consulta com o pediatra para que este nos dê a sua aprovação.

Compartilhe com seus amigos!

Add comment


Security code
Refresh